sábado, 12 de agosto de 2017

Capítulo "O jardim como fonte de inspiração: o floreado nos motivos neogóticos de A. W. N. Pugin" publicado no livro "Patrimônio Sacro na América Latina – Arquitetura, Arte e cultura no século XIX" (2017)

Sobre o livro
A presente obra, com artigos de 21 autores, vem preencher uma lacuna na história da arte, uma vez que a arte e a arquitetura sacras do século XIX, pela sua história recente, carecem de estudos analíticos. Originada nas palestras e conferências do II Seminário Internacional Patrimônio Sacro, realizado em julho de 2015 no Mosteiro de São Bento pelo Grupo de Pesquisa Barroco Memória Viva do Instituto de Artes da UNESP, busca ser o reflexo do que foram suas apresentações e conferências. Destacam-se os temas sobre a arte sacra na América Latina, Persistências e ressignificações do Barroco entre os séculos XIX e XX , proferida por Rodrigo Gutiérrez Viñuales, da Universidade de Granada, Espanha, Maurizio Russo, do Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro e Istituto Italiano di Cultura com Igreja Católica e patrimônio sacro na Itália do Século XIX, bem como o coordenador do Barroco Memória Viva, Percival Tirapeli, com Catedrais Neoclássicas na América Latina.No âmbito paulistano, o patrimônio sacro arquitetônico: entre o rococó e o neoclássico, a arte religiosa paulista nos tempos do Império, e ainda a pintura sacra do século XIX e sua permanência nos espaços religiosos, além de aspectos de restauro e a conservação das importantes igrejas de São Cristóvão, Santa Ifigênia e Santa Cecília - com as pinturas de Benedito Calixto - e a Ordem Terceira do Carmo - com as de Jorge José Vedras, além da neogótica Sé de São Paulo. Na escultura, a presença italiana na arte sacra paulista na virada do século XX, o trabalho abrangente da oficina de Marino Del Favero, a escultura tumular em mármore e bronze, também influenciada por artesãos italianos são temas que tornam esta obra fundamental em sua área. Descobertas recentes de artistas que trabalharam no início dos novecentos paulista e dos que atuaram nas pinturas dos forros da Ordem Terceira do Carmo de Mogi das Cruzes, estudos sobre a Catedral de Jundiaí e o arquiteto Ramos de Azevedo além da imaginária devocional nas igrejas, estes são os temas paulistas. As presenças dos estados da Bahia, Pernambuco e Espírito Santo, mostram a dinâmica da história, conservação e restauro do patrimônio novecentista, apontando artistas italianos na Basílica da Penha, e a talha decorativa e devocional em São Pedro dos Clérigos, ambos no Recife. O patrimônio e a arte sacra no século XIX aqui apresentado certamente servirão como base para pesquisadores, estudiosos e leigos interessados no assunto, fazendo-nos lembrar o papel da Igreja Católica como centro irradiador de cultura desde tempos imemoriais.

AUTORES
André Tavares | Attilio Colnago Fº | Bianka T. Ortega | Carlos A. Campelo de Melo Cristiana Cavaterra | Eduardo Murayama | Danielle M. dos Santos Pereira FormArte Cultural/ Fabíula Domingues | Julio Moraes | Karin Philippov | Myriam Salomão | Maria José S. Tavolaro Passos | Mateus Rosada |Marcos Tognon | Maurizio Russo | Mônica Farias | Mozart Bonazzi |Percival Tirapeli | Rodrigo Gutiérrez Viñuales | Rosângela Ap. da Conceição | Viviane Comunale


Percival Tirapeli, Danielle Manoel do Santos Pereira (Orgs). Patrimônio Sacro na América Latina – Arquitetura, Arte e cultura no século XIX. Arte Integrada; Unesp, Instituto de Artes; ASSEER, Faculdade de São Bento de São Paulo. 1ª edição, 2017. 382 páginas. ISBN: 978-85-64719-09-5